fbpx
4 dicas para começar a ler Chesterton

4 dicas para começar a ler Chesterton

“Por onde eu começo a ler Chesterton?” Essa é uma pergunta que recebemos quase diariamente. Até mesmo editamos uma seleção de textos introdutórios para ajudar os que têm essa necessidade

O gigante literário escreveu centenas de ensaios e artigos jornalísticos, crônicas, contos, romances, poesia, apologética religiosa de primeira, crítica social e literária, além de excelentes biografias. Não houve gênero literário que ele não tenha experimentado.

Com tamanha obra literária, e cada vez mais material disponível em português, é natural que o iniciante se pergunte “por onde eu começo?”

Para se debruçar sobre esse gigantesco (em todos os sentidos) escritor, que mudou a vida de homens como Gustavo Corção e influenciou outros tantos como C.S. Lewis, talvez a pergunta certa não seja “o que ler” de Chesterton, mas “como ler” Chesterton. Simplesmente pegar Ortodoxia e ler antes de qualquer contato com a obra e o pensamento do autor pode ser confuso e pouco proveitoso (não por acaso, Raul Martins gravou um vídeo sobre como se preparar para ler Ortodoxia).

Então, para dar o caminho das pedras de como fazer uma leitura proveitosa de Chesterton, separamos quatro conselhos:

1 – Comece aos poucos

Já parou para pensar na quantidade de sabedoria que há em frases como:

A maneira de amar qualquer coisa é perceber que ela pode ser perdida.

Uma coisa morta pode seguir com a correnteza. Apenas uma coisa viva pode nadar contra.

Arte, como a moralidade, consiste em traçar uma linha em algum lugar.

Retiremos o sobrenatural e o que sobra é o não-natural.

Antes de começar a ler Chesterton, entenda que ele não deve ser lido como um best-seller da J.K. Rowling. É preciso meditar essas linhas. Cultive o hábito de fazer uma leitura meditada, calma.

Um bom exercício pode ser navegar em nossas redes sociais e ver algumas de suas frases que compartilhamos diariamente. Tente enxergar o que ele enxergava quando escreveu aquilo, olhar a citação por todos os seus ângulos possíveis.

Não leva mais de cinco minutos, mas infelizmente, andamos muito apressados hoje em dia.

2 – Uma boa biografia ou estudo introdutório ajuda

Uma vez que você está acostumando sua mente a ler sem pressa, meditando, dois livros podem ser úteis para te preparar para Chesterton.

O livro Sabedoria e Inocência – Vida de G.K. Chesterton é uma obra de arte e pesquisa farta escrita por Joseph Pearce (também biógrafo de Tolkien, Lewis e Belloc). Saber quem foi o escritor, o que diziam seus amigos e rivais sobre ele (o livro é rico em fontes primárias) ajudam a entender como aquela mente pensava.

Mas para uma biografia intelectual, com suas ideias gerais, vale adquirir o livro O Pensador Completo: A Mente Maravilhosa de G.K. Chesterton do presidente da Sociedade Chesterton Americana, Dale Ahlquist. É um estudo sobre as ideias principais de Chesterton, sobre a vasta gama de assuntos que ele escreveu sobre (política, religião, imprensa, família, etc). Uma verdadeira análise de seu pensamento, é o livro perfeito para responder “O que Chesterton pensa sobre isso?”

3 – Leia o Chesterton jornalista

A essa altura vale a pena ler seus artigos e ensaios, a maioria deles escritos para o Illustrated London News, Daily News e seu próprio jornal, o G.K.’s Weekly. São um bom contato com o estilo divertido, leve e sagaz do autor, além de permitir que você o leia pelos assuntos que te interessam. Em O Essencial de Chesterton, reunimos os artigos e ensaios que julgamos fundamentais, que melhor ilustram seu pensamento e demonstram seu gênio. E todos aqueles que nos apoiam com qualquer valor em nosso Apoia.Se têm acesso a mais de uma dúzia de excelentes traduções inéditas de artigos do Chesterton.

4 – Finalmente, os livros

Agora sim! Você fará uma leitura proveitosa dos livros de Chesterton. Mas atenção: é importante estar atento à qualidade das traduções. Coisa que prezamos muito em nossos livros editados em parceria com Instituto Hugo de São Vítor.

O Poeta e os Lunáticos é uma ótima escolha de contos fantásticos que carregam em si doses da filosofia chestertoniana. É quase Ortodoxia em alegorias. Se você procura um romance, oferecemos um como você nunca viu: A Taberna Ambulante é um épico cômico sobre o homem comum enfrentando elites tirânicas (como Chesterton fez a vida inteira).

Se você quer um clássico do gênero favorito do autor (as histórias de detetive), garanta seu exemplar de A Inocência do Padre Brown ou A Sabedoria do Padre Brown (e aguarde para em breve completar sua coleção), as divertidas aventuras do padre-detetive.

E se quiser garantir um desconto camarada: nossos apoiadores têm 20% de desconto vitalício em nossa loja. Basta contribuir mensalmente em nosso Apoia.se com qualquer valor para a manutenção desse trabalho. Quem avisa, amigo é.

Aproveite a leitura! Chesterton vale a pena.

 

 

 

Este post tem 2 comentários

  1. Muito bom! O texto é um norte para quem, assim como eu, deseja conhecer a vida e obra de Chesterton. Foi a partir de C.S.Lewis que tomei conhecimento da existência dele. Se Lewis foi influenciado por ele, então vale a pena conhecê-lo!

  2. Estou me interesando

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho