Chesterton e Churchill

Chesterton e Churchill

Por: Pedro Erik Carneiro

Por vezes, eu vejo alguns chestertonianos relacionando Chesterton com Churchill. Parece-me um desejo de juntar dois gênios ingleses do século XX. Tenho dificuldades com isso.

Recentemente, eu adquiri a palestra “Cigar-Smoking Prophets: Chesterton and Churchill”, da Sociedade Gilbert Keith Chesterton. Palestra proferida por Tod Worner.

Worner tem justamente essa tentativa comum de tentar juntar Chesterton e Churchill. Ele nos fala basicamente de similaridades entre eles e muito pouco sobre diferenças.

Aqui vai um resumo do que ele disse:

– Ambos nasceram no mesmo ano, 1874.

– Chesterton nasceu em família de classe média. Churchill nasceu de família aristocrata.

– Chesterton tinha uma família adorável, enquanto os pais de Churchill eram distantes. O pai era político renomado que não se dedicava muito para filho, e a mãe, uma socialite, também não se dedicava.
– Ambos fizeram sua própria educação, fora da escola. Ambos declararam que tinham desprezo pela escola regular.

– Ambos escreviam muito. Foram escritores e historiadores.

– Ambos gostavam de pintar e desenhar.

– Churchill correu mais o mundo, especialmente como militar.

– Ambos casaram e ficaram casados até a morte.

– Ambos eram gordos e desorganizados. Gostavam de bebidas e cigarros.

– Ambos eram brilhantes.

– Ambos eram patriotas, mas Churchill era imperialista e Chesterton, não.

– Chesterton era cético com relação a políticos e aristocratas, Churchill era um político e aristocrata.

– Como político, Churchill mudou de partido, foi da direita para esquerda e voltou.

– Chesterton era distributista, enquanto Churchill apoiava o capitalismo.

– Sobre religião, Chesterton se tornou católico. Churchill era distante de religião, mas defendia o cristianismo (sem determinação de forma teológica).

– Ambos identificaram claramente três ameaças no século XX: bolchevismo, nacional-socialismo de Hitler, e falhas na defesa da civilização cristã.

Apesar de concordar com o que Tod Worner disse, eu acho que os dois gênios eram bem diferentes.

Acho que há duas coisas que devem ser ditas logo de cara em qualquer análise sobre os dois:

1) Churchill não era defensor das ideias sociais, morais e teológicas de Chesterton. Churchill seria hoje um esquerdista social (ele apoiou a eugenia, por exemplo), que entendia a importância da civilização cristã, sem tomar muito lado em questões morais.

2) Chesterton não conheceu o melhor de Churchill. Chesterton morreu em 1936, com 62 anos.

Nesta época, Churchill estava entrando no seu ocaso político. O melhor de Churchill ocorreu na Segunda Guerra Mundial. Sob a sua liderança o Reino Unido se defendeu contra Hitler e lutou contra Hitler na Europa. Churchill viveu até os 90 anos.

Churchill, durante a vida de Chesterton, assumiu vários cargos de ministro, especialmente posições militares. Ele também era um político do tipo “maverick”, não reprimia muito suas opiniões para defender posições partidárias. Chesterton não deve ter visto muita diferença entre os políticos de sua época, e Churchill sofria muitas críticas por suas posições como comandante militar e como político.

Durante a guerra, Chesterton já tinha falecido, ele certamente teria apoiado algumas ações de Churchill, mas teria diferenças em outras. Talvez Chesterton tivesse se voltado mais para os Estados Unidos, afinal só depois da entrada deste país foi que a guerra contra Hitler foi vencida.

O império britânico, que era tão defendido por Churchill, basicamente acabou depois da Segunda Guerra, mesmo tendo os britânicos vencido a guerra. Tenho dúvidas de que Chesterton acharia isso ruim.

Sem desprezar a gigantesca perda de vidas dos russos (a maior entre todos os países da guerra), a Segunda Guerra foi vencida basicamente pelos Estados Unidos, na minha opinião. Mesmo a defesa da Rússia contra Hitler só foi obtida pelo gigantesco fornecimento de material bélico dos Estados Unidos para a Rússia. Os russos usaram tanques, aviões e material de comunicação “made in USA”. Foi o poderio industrial e militar americano que, basicamente, já em 1943 derrotou claramente as forças do Eixo. O Japão foi vencido já no final de 1942, após a batalha de Midway. A insistência em permanecer na guerra se deve a caráter moral belicoso, de desapego à vida, tanto de alemães como de japoneses.

Hitler e Stálin ficaram juntos de 1939 a 1941, depois Hitler atacou Stálin. Chesterton, certamente, teria visto as semelhanças entre os dois líderes e entre os dois regimes políticos. E a opinião dele sobre a união entre aliados e Rússia sofreria uma análise rigorosa de Chesterton. Churchill apoiou as reivindicações de Stálin, durante a guerra. Só depois de 1945 é que Churchill quis liderar o mundo contra o que chamou de cortina de ferro comunista.

Em suma, se eu fosse escrever um livro sobre os dois, eu acho que eu teria foco nas diferenças morais entre eles e não em similaridades. E teria parado em 1936, depois daí fica difícil analisar.

Deixe uma resposta